Médicos de família vão passar a receber orientações de prescrição de medicamentos

Governo vai criar uma comissão de farmácia terapêutica nas Administrações Regionais de Saúde, à semelhança da que existe para os hospitais.





O Ministério da Saúde aprovou ontem em Conselho de Ministros um diploma onde, entre outras coisas, cria uma comissão de farmácia terapêutica dentro das Administrações Regionais de Saúde (ARS) para controlar a prescrição de medicamentos nos centros de saúde.

Esta comissão permitirá introduzir “disciplina no receituário” que é prescrito pelos médicos de família, nos centros de saúde, explicou ao Negócios fonte oficial do Ministério da Saúde. Com funções semelhantes às da comissão já existente nas farmácias hospitalares – e que dá, por exemplo, a autorização para se prescrever determinados medicamentos – esta nova comissão terá que ter em atenção que em ambulatório “há um mercado”, continuou a mesma fonte, dizendo contudo que esta poderá “avaliar e aconselhar” os médicos.

Esta medida vai ao encontro da “racionalização da política do medicamento no âmbito do SNS”, como se lê no comunicado do Conselho de Ministros.

O Governo avança ainda com a prescrição por DCI que permitirá aos doentes comprar medicamentos mais baratos nas farmácias. Já há alguns médicos a prescreverem por DCI, sendo que nos hospitais é obrigatória, mas agora o Ministério pretende “clarificar” a questão e a “forma de recusa do médico”, de modo a impedir que o utente troque medicamentos na farmácia, ficará “mais clara”, explica fonte oficial. Este diploma vai ainda “regular a disponibilidade nas farmácias de medicamentos mais baratos”.








in JNeg