Um estudo recentemente publicado sugere que o aumento da temperatura mais acelerado nos pólos diminui a diferença da temperatura em relação às latitudes mais baixas que é a responsável pela criação dos ventos, o que resultará em ventos mais fracos reduzindo a energia potencialmente produzida pelos aerogeradores.

Um cientista da Universidade do Texas publicou recentemente na revista Journal of Renewable and Sustainable Energy um estudo que sugere que a energia eólica disponível para ser aproveitada recorrendo a aerogeradores sofrerá uma diminuição como consequência do Aquecimento Global.

De acordo com as previsões dos especialistas em Alterações Climáticas, a subida da temperatura será mais acentuada nos pólos, limitando o gradiente de temperatura entre os pólos, -com temperaturas baixas - e as latitudes mais baixas - onde as temperaturas são mais elevadas.

Uma vez que é este gradiente o responsável pela força dos ventos na atmosfera livre, a 1km acima do solo, fenómeno resultará na geração de ventos mais fracos. Esta alteração é representativa do que acontecerá a 100m do solo, altura a que funcionam as hélices dos aerogeradores, e que também é afectada pela topografia e as características da paisagem.

Traduzindo em números, o autor desta investigação estima que um aumento de 2-4-ºC nas latitudes médias-altas, causará uma redução de 4-12% das velocidades dos ventos em certas zonas de latitudes elevadas a Norte.



Naturlink