Ao que tudo indica, a ideia da Nokia de oferecer músicas ilimitadas não foi o sucesso que se esperava, já que os gastos milionários com o marketing do novo "Comes with Music" não alcançaram o impacto mundial previsto pela empresa. No Reino Unido, foram cadastrados menos de 33 mil usuários.
<>Dados divulgados pela consultoria MusicAlly, especializada na indústria da música, mostram que este é o melhor índice da empresa, dentre os nove países onde o "Comes with Music" está presente.


O serviço, lançado em 2008 como o "começo de uma nova era" para o download de músicas em celulares, apresenta hoje 32.728 usuários no Reino Unido, 23.003 na Austrália e 19.318 em Cingapura, sendo estes os maiores mercados alcançados.

No Brasil e no México, onde o lançamento ocorreu em meados de junho, a linha "Comes with Music" atingiu 10.809 e 16.344 usuários, respectivamente, número acima do registrado em países como Suécia (1.101), Itália (691) e Alemanha (2.673). A Suíça atingiu 560 cadastrados. No total, existem 107.227 usuários cadastrados no mundo todo.

O serviço parece estar se saindo melhor em países emergentes do que nos países desenvolvidos do Ocidente, que contam com um mercado mais competitivo. As especulações para a pouca popularidade do lançamento incluem o problema para converter os arquivos baixados para outros formatos que não o do próprio player, mas a Nokia atribui as falhas ao mercado em baixa e à falta de apoio da indústria.

A empresa, porém, afirma que, como o serviço foi lançado há apenas um ano, há grandes chances desse quadro melhorar, mas com produtos como o Sky Music e o Napster (que será relançado em breve) no mercado, e com o envio de dados obtidos às gravadoras e distribuidoras, acredita-se que a Nokia irá repensar a ideia toda em breve.

Os celulares "Comes with Music" (Nokia 5800 e Nokia N96) permitem aos seus usuários fazer o download legal, pelo período de um ano, de mais de 6 milhões de músicas que, ao final deste prazo, podem ser mantidas para sempre, explica o site do jornal inglês The Telegraph. Todavia, há uma pegadinha: se o aparelho apresentar defeito ou for roubado, os usuários perdem as músicas e terão que comprar outro aparelho para obtê-las novamente.

Para a realização do projeto, foi firmada parceria entre a empresa de telecomunicações finlandesa e as gigantes da música Universal, Sony, BMG e EMI (assim como alguns selos independentes) em dezembro de 2007, conta o site The Inquirer.

Geek