Acordo com chinesa Huawei permite potenciar fibra

Discussão em 'Economia e Finanças' iniciado por JuizDidi, Novembro 7, 2010.

  1. JuizDidi

    JuizDidi Staff Moderador Temático Membro Gold


    Telecom

    Acordo com chinesa Huawei permite potenciar fibra

    Económico com Lusa
    07/11/10

    A PT assinou hoje um acordo de cooperação estratégica com a Huawei, que permite criar 150 postos de trabalho.

    "Vai-nos permitir potenciar o investimento que estamos a fazer na fibra em Portugal e fazer com que a fibra chegue mais depressa ao móvel", disse Zeinal Bava em declarações à Lusa, no final da cerimónia da assinatura de diversos acordos entre Portugal e a China, no último dia da visita oficial do presidente chinês Hu Jintao.
    Numa cerimónia a que assistiram o Hu Jintao e o primeiro-ministro português José Sócrates, antes de um encontro bilateral, nove empresas portuguesas assinaram acordos de cooperação comercial com a China.
    O acordo entre a Portugal Telecom (PT) e a Huawei reforça a parceria que já existe entre as duas empresas - sobretudo no fornecimento e desenvolvimento de soluções de fibra - e intensifica o desenvolvimento de intercâmbios entre as duas empresas em áreas
    técnicas do negócio das telecomunicações, segundo a empresa portuguesa.
    "Esta parceria tem vantagens competitivas importantes na parte da inovação. Nós partilhamos com eles o nosso plano de inovação, eles partilham connosco o plano de inovação, constituímos equipas conjuntas, e algumas dessas vão fazer trabalhos aqui em Portugal, o que nos abre oportunidades para potenciar o pólo que temos em
    Aveiro", disse ainda Zeinal Bava.
    O presidente executivo da PT destacou ainda a importância dos mercados externo para a empresa.
    "O nosso foco é Brasil e África. Temos [também] uma presença muito estratégica e muito importante em Timor, um mercado onde queremos estar presentes. Queremos fazer coisas inovadoras e queremos que Timor seja uma referência na região", afirmou.
    Como parte deste acordo de cooperação, segundo a PT, está prevista também a implementação de um Centro de Serviços e Operações da Huawei em Portugal, que irá criar cerca de 150 novos postos de trabalho.
    Numa cerimónia em que estiveram presentes, para além do primeiro-ministro português e do presidente chinês, os ministros dos Negócios estrangeiros do dois países, os ministros portuguesas da Economia e das Finanças, ou o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Portugal, os dois países assinaram quatro acordos
    de cooperação institucional e nove acordos comerciais, não tendo ficado especificado, no entanto, nenhuma garantia explícita de compra de dívida portuguesa, por parte da China, como tinha sido antes indicado.
    Hu Jintao terminou hoje uma visita oficial de dois dias a Portugal, a primeira de um presidente chinês em mais de uma década.



    in DE
     
  2. JuizDidi

    JuizDidi Staff Moderador Temático Membro Gold

    Zeinal Bava diz que acordo com a Huawei permite potenciar investimento na fibra

    Zeinal Bava diz que acordo com a Huawei permite potenciar investimento na fibra


    Zeinal Bava considerou hoje que o acordo que a empresa portuguesa hoje assinou com a multinacional de tecnologia chinesa Huawei permite tornar mais eficiente o investimento na fibra óptica no mercado português.


    [​IMG]


    O presidente executivo da Portugal Telecom (PT), Zeinal Bava, considerou hoje que o acordo que a empresa portuguesa hoje assinou com a multinacional de tecnologia chinesa Huawei permite tornar mais eficiente o investimento na fibra óptica no mercado português.

    “Vai-nos permitir potenciar o investimento que estamos a fazer na fibra em Portugal e fazer com que a fibra chegue mais depressa ao móvel”, disse Zeinal Bava em declarações à agência Lusa, no final da cerimónia da assinatura de diversos acordos entre Portugal e a China, no último dia da visita oficial do presidente chinês Hu Jintao.

    Numa cerimónia a que assistiram o Hu Jintao e o primeiro-ministro português José Sócrates, antes de um encontro bilateral, nove empresas portuguesas assinaram acordos de cooperação comercial com a China.

    O acordo entre a Portugal Telecom e a Huawei reforça a parceria que já existe entre as duas empresas – sobretudo no fornecimento e desenvolvimento de soluções de fibra – e intensifica o desenvolvimento de intercâmbios entre as duas empresas em áreas técnicas do negócio das telecomunicações, segundo a empresa portuguesa.

    “Esta parceria tem vantagens competitivas importantes na parte da inovação. Nós partilhamos com eles o nosso plano de inovação, eles partilham connosco o plano de inovação, constituímos equipas conjuntas, e algumas dessas vão fazer trabalhos aqui em Portugal, o que nos abre oportunidades para potenciar o pólo que temos em Aveiro”, disse ainda Zeinal Bava.

    O presidente executivo da PT destacou ainda a importância dos mercados externo para a empresa.

    “O nosso foco é Brasil e África. Temos [também] uma presença muito estratégica e muito importante em Timor, um mercado onde queremos estar presentes. Queremos fazer coisas inovadoras e queremos que Timor seja uma referência na região”, afirmou.

    Como parte deste acordo de cooperação, segundo a PT, está prevista também a implementação de um Centro de Serviços e Operações da Huawei em Portugal, que irá criar cerca de 150 novos postos de trabalho.

    Numa cerimónia em que estiveram presentes, para além do primeiro-ministro português e do presidente chinês, os ministros dos Negócios estrangeiros do dois países, os ministros portuguesas da Economia e das Finanças, ou o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Portugal, os dois países assinaram quatro acordos de cooperação institucional e nove acordos comerciais, não tendo ficado especificado, no entanto, nenhuma garantia explícita de compra de dívida portuguesa, por parte da China, como tinha sido antes indicado.




    in JNeg
     
  3. JuizDidi

    JuizDidi Staff Moderador Temático Membro Gold

    PT assina acordo com Huawei que permitirá a criação de 150 postos de trabalho em Portugal

    PT assina acordo com Huawei que permitirá a criação de 150 postos de trabalho em Portugal


    O reforço da parceria entre as duas empresas foi feito hoje, no âmbito da visita oficial do Presidente da República Popular da China a Portugal, Hu Jintao, e prevê o fornecimento e desenvolvimento de soluções de fibra e de novas tecnologias na rede móvel.


    [​IMG]


    A Portugal Telecom (PT) e a Huawei Technologies assinaram hoje um acordo de cooperação estratégica, que prevê a criação de um centro de operações em Portugal e a criação de 150 postos de trabalho. O reforço da parceria entre as duas empresas foi feito hoje, no âmbito da visita oficial do Presidente da República Popular da China a Portugal, Hu Jintao, e prevê o fornecimento e desenvolvimento de soluções de fibra e de novas tecnologias na rede móvel.

    De acordo com uma nota enviada pela PT, este acordo insere-se na estratégia da Portugal Telecom e da Huawei, de oferta de serviços de nova geração e convergentes para os seus clientes, independentemente da sua localização.

    As duas empresas pretendem "desenvolver, testar e implementar soluções inovadoras, no âmbito de um quadro de parceria estratégica com vista a promover o desenvolvimento de redes e serviços nos mercados onde a PT está presente".

    No âmbito desta parceria, está também prevista a implementação de um Centro de Serviços e Operações da Huawei em Portugal, para o desenvolvimento de aplicações e serviços.

    Este investimento – cujo montante ou localização não foram divulgados - irá criar cerca de 150 novos postos de trabalho em Portugal e possibilitar a criação de um programa de estágios que permitirá que altos quadros da PT possam partilhar a sua experiência em alguns centros de I&D da Huawei.

    A colaboração entre as duas empresas tem já “vários anos e tem sido marcada pelo sucesso no desenvolvimento de inúmeros projectos de telecomunicações, não só em Portugal como em outros países”.

    Em Setembro de 2009, a PT e a Huawei assinaram um acordo para “fortalecer o seu relacionamento comercial de longo prazo, potenciar o desenvolvimento tecnológico, trocar informações sobre as exigências presentes e futuras do mercado dos dois países, e estabelecer um plano de lançamento de produtos e serviços com o objectivo de reforçar a liderança das duas empresas”.




    in JNeg
     
LMPC