Agências têm de alertar governos três dias antes de mexerem no "rating"

Discussão em 'Economia e Finanças' iniciado por JuizDidi, Novembro 5, 2010.

  1. JuizDidi

    JuizDidi Staff Moderador Temático Membro Gold

    Agências têm de alertar governos três dias antes de mexerem no "rating"


    As agências de notação financeira poderão ver-se obrigadas a notificar os governos com três dias de antecedência quando alterarem o "rating" das suas dívidas soberanas. É assim que acontecerá, se a proposta for aprovada na UE.


    [​IMG]


    Uma das propostas que está a ser discutida no âmbito da União Europeia prevê um maior período de antecipação da advertência para uma alteração no “rating” da dívida pública – das actuais 12 horas para 72 horas.

    Isto daria aos países a oportunidade de salientar “erros factuais” e “novos desenvolvimentos”, susceptíveis de poder influenciar a notação financeira, sublinhou a Comissão Europeia num relatório – citado pela Bloomberg – sobre as possíveis normas para as empresas de “rating”.

    “Já introduzimos normas à escala de toda a UE, com vista a uma melhor supervisão e maior transparência no mercado do ‘rating’ da dívida”, comentou o comissário europeu dos Serviços Financeiros, Michel Barnier, em comunicado. “No entanto, temos de pensar no segundo passo – o papel dos próprios ‘ratings’ e o impacto que podem ter nos mercados”, acrescentou.

    Recorde-se que a Comissão começou hoje a analisar a probabilidade de impor regras mais duras à notação de “rating”, depois de a Grécia ter visto a notação da sua dívida pública cortada para “junk” (lixo) em Abril passado. Esse corte apressou os planos de resgate de Atenas pela UE.

    Na semana passada, relembra a Bloomberg, o Conselho de Estabilização Financeira, um grupo de reguladores a nível global, disse que a dependência dos bancos e investidores das agências de notação financeira tem de ser diminuída, uma vez que ameaça a estabilidade financeira.

    “Os ‘ratings’ da dívida soberana desempenham um papel crucial para os países alvo dessa classificação, uma vez que um ‘downgrade’ tem efeito imediato – pelo facto de encarecer os juros cobrados pela compra de dívida desse país”, sublinhou a Comissão Europeia, citada pela Bloomberg.

    Actualmente, a Standard & Poor’s tem um “rating” de ‘A-’ para a dívida soberana portuguesa, a Moody’s tem ‘A1’ e a Fitch ‘AA-’.




    in JNeg
     
SatLine 24