"Bancos portugueses estão bem e tem tido um comportamento admirável"

Discussão em 'Economia e Finanças' iniciado por JuizDidi, Novembro 12, 2010.

  1. JuizDidi

    JuizDidi Staff Moderador Temático Membro Gold

    "Bancos portugueses estão bem e tem tido um comportamento admirável"


    Presidente do BES afirmou criticou António Borges por ter afirmado que os bancos portugueses estavam de “joelhos perante o Banco Central Europeu".


    [​IMG]


    Ricardo Salgado, em entrevista à RTP, afirmou que os bancos “portugueses estão bem e tem tido um comportamento admirável e não tem deixado de apoiar economia”.

    Reconhecendo que na actividade doméstica os bancos nacionais “estão com dificuldades”, Ricardo Salgado afirmou que “tem sido dito erradamente que os bancos emprestam ao estado e não à economia” portuguesa.

    Lembrou que os bancos portugueses estão internacionalizados, reconheceu que “a actividade doméstica tem-se contraído, mas isso não impede que globalmente os bancos portugueses esteja bem”.

    Afirmou também que “não foi correcto” dizer que bancos portugueses estão “ajoelhados” junto do BCE, numa crítica directa a António Borges.

    O director do departamento europeu do Fundo Monetário Internacional (FMI) afirmou que Portugal está de "joelhos perante o Banco Central Europeu, esperando que eles não alterem a sua política que nos permite ir vivendo".

    Sobre o recurso da banca portuguesa ao BCE, o presidente do BES afirmou que o banco central recebe colaterais e aplica margens nos empréstimos à banca, numa relação semelhante à que existe entre os bancos comerciais e os seus clientes.

    O presidente do BES criticou também o recente corte de “rating” da Fitch aos bancos portugueses, considerando que as agências de notação financeira “desconsideraram o comportamento exemplar dos bancos portugueses durante a crise”.

    As “agências de rating contribuíram muito para dificultar o acesso da banca portuguesa aos mercados de financiamento”, disse Ricardo Salgado, citando três erros na análise da Fitch ao BES.

    Quanto aos receios de um aumento do crédito mal parado em Portugal, Ricardo Salgado considerou que as “famílias tem tido um comportamento formidável” e que o “nível de incumprimento no crédito à habitação tem sido muito bom”.

    Recusou ainda o risco de existir uma bolha no mercado imobiliário em Portugal.

    O Presidente do BES afastou ainda a ideia de que os bancos em Portugal pagam poucos impostos, afirmando que muita da fiscalidade do sector não está incluída na rubrica de impostos da demonstração de resultados.

    "Se começarmos a adicionar todas essas parcelas" de impostos que não estão explícitos, como o IVA, "facilmente [os impostos] ultrapassam os 20% dos lucros", disse o presidente do BES, citando ainda um estudo que mostra que em Portugal, o "sector bancário paga mais impostos que outras actividades".

    "Os bancos têm ajudado aquilo que podem", acrescentou.




    in JNeg
     
Engisat