Custo de visita papal gera protestos em Espanha

Discussão em 'Internacional (Notícias)' iniciado por zarbman, Novembro 6, 2010.

  1. zarbman

    zarbman Staff Moderador Temático Membro Gold

    [​IMG]

    O Papa chega hoje a Santiago de Compostela, onde se juntará a milhares de peregrinos para assinalar o Ano Santo Jacobeu, seguindo amanhã para Barcelona. Na capital catalã, vai elevar a Sagrada Família a basílica. Mas a viagem de 32 horas está rodeada de críticas, em especial em relação aos custos, com grupos laicos ou homossexuais a receberem-no com um "Eu não te espero"

    Os espanhóis foram buscar a calculadora e não ficaram satisfeitos ao conhecer os custos da viagem papal. Bento XVI chega hoje a Santiago de Compostela para uma visita de 32 horas que o vai levar também a Barcelona e que custará 4,8 milhões de euros aos contribuintes. Isto é, 150 mil euros por hora, 2500 euros por minuto. Tudo sem contar com os custos de segurança nem de emergência médica. Por tudo isto, há quem já tenha pendurado nas janelas o cartaz: "Eu não te espero."

    Prevista para o dia da chegada do Papa, a manifestação com esse lema foi adiantada, para "fazer-se ouvir e evitar um confronto directo com os apoiantes de Bento XVI". Cerca de 2500 pessoas reuniram-se na quinta-feira à noite, na praça de Sant Jaume, em Barcelona, para defender a laicidade e a "diversidade dos princípios morais" de Espanha. E não só. "Crianças venham, padres fujam", lia-se num dos cartazes, em referência aos escândalos de pedofilia na Igreja Católica.

    Mas este não será o único protesto contra o Papa. O mais invulgar deverá acontecer amanhã às 9.00 em Barcelona, na praça da Catedral, ponto de partida do percurso de Bento XVI para a Sagrada Família. Será uma flashmob, um evento repentino que acaba passados poucos minutos, como se não tivesse acontecido. Neste caso, esperam-se centenas de casais homossexuais que se devem beijar na boca durante dois minutos à passagem do Papa. O evento espalhou-se através da rede social do Facebook e, segundo uma das organizadoras, Joan Pérez, há 300 pessoas que já confirmaram a presença.

    O porta-voz de Bento XVI, Federico Lombardi, assegurou que "há uma grande maioria de pessoas que está feliz por receber o Papa", avisando que os que não estão de acordo com esta visita "devem respeitar a opinião da grande maioria e deixar que seja uma festa". Em declarações ao programa Els Mantins de TV3, o padre disse contudo entender "o mal-estar" que pode trazer a visita papal aos moradores das áreas em que as medidas de segurança foram aumentadas, como junto à Sagrada Família.

    Em relação à segurança que vai rodear a viagem do Papa, as autoridades tiveram de fazer alterações de última hora, depois de, há cerca de um mês, um dos responsáveis ter perdido o dossier com essa informação. Os papéis foram descobertos na noite de quinta-feira, junto a um caixote do lixo, por um homem que estava a passear o cão. Entre os dados constavam os contactos de todos os responsáveis de segurança, assim como os locais em que vai ficar alojada a comitiva papal e os pontos onde estão instaladas as câmaras de segurança.

    O dossier foi entregue à rádio Rac1, com o delegado do Governo da Catalunha Joan Rangel, a dizer que não representa "risco nem perigo", já que as autoridades tinham sido avisadas da perda dos documentos e tinham procedido a alterações. "O Estado garante a 100% a segurança do Papa", disse por seu lado o vice- -presidente e ministro do Interior, Alfredo Pérez Rubalcaba. Será o número dois do Governo espanhol a receber o Papa no aeroporto de Santiago de Compostela, hoje às 9.30.

    No Ano Santo do Jacobeu (que acontece sempre que o dia de Santiago coincide com um domingo), o Papa quer ser mais um dos milhares de peregrinos que, anualmente, chegam à cidade a pé. Em 2010, já foram contabilizados 260 mil, um recorde. Na capital da Galiza, Bento XVI celebra missa às 15.30.

    Segundo o subsecretário da Congregação para o Clero, Celso Morga, o Papa deverá aproveitar a oportunidade para alertar para a "descristianização" da Europa, "o relativismo e a ideia herdada da Revolução Francesa que, para ser plenamente humano, é preciso libertar-se de toda a tradição religiosa".

    Bento XVI visita Espanha pela segunda vez, depois de ter estado em Valência, em 2006. Este país de forte tradição católica está contudo a ficar menos crente, com uma sondagem do Centro de Investigações Sociológicas a revelar que hoje apenas 73,2% dos espanhóis se diz católico. E quando se analisam apenas os jovens, com idades entre 15 e 29 anos, metade diz não ser católico.

    Amanhã, em Barcelona, o Papa vai elevar a Sagrada Família - a igreja inacabada do arquitecto catalão Antoni Gaudí - à condição de basílica. Aproveitará a missa para fazer a defesa da família. Isto num país governado pelos socialistas, que aprovaram o casamento homossexual e liberalizaram o aborto. A cerimónia deverá ser em latim, castelhano e catalão. A visita do Papa está a ser aproveitada pelos nacionalistas para reforçar as suas intenções separatistas, isto a 22 dias das eleições na Catalunha.
     
  2. EIMS

    EIMS Membro Li-ion


    Essas pessoas näo sabem o que é um pedófilo, a expressäo<venham criancas> é usada por predadores sexuais, já agora a expressäo< padres fujam >nem todos säo o parece, e todos sabem que os <homem-bomba> säo pessoas na sua maioria gays que procuram a salvacäo num acto que mata quem estiver por perto näo tendo escolhas(mulheres e criancas), será que esses säo melhores que os padres??????????????


    Cumprimentos
     
LMPC