Dividendos - Os melhores da Europa

Discussão em 'Economia e Finanças' iniciado por JuizDidi, Novembro 12, 2010.

  1. JuizDidi

    JuizDidi Staff Moderador Temático Membro Gold

    Dividendos - Os melhores da Europa



    Os dividendos são um dos grandes atractivos do investimento nas acções. E as empresas estão cheias de dinheiro nos balanços para dar aos accionistas. Saiba quais as melhores oportunidades.

    [​IMG]


    A Portugal Telecom (PT) arrasou com a concorrência. Já era a empresa com o dividendo mais rentável entre as maiores empresas de Portugal, mas agora tem mesmo o mais atractivo da Europa, oferecendo aos investidores um retorno de mais de 20%, tendo em conta a remuneração accionista extraordinária e ordinária que se comprometeu a entregar aos accionistas.

    A operadora pretende pagar dividendos no valor de 2,30 euros, referentes a 2010. Parte da remuneração especial (1,00 euro) será entregue já este ano, em Dezembro, sendo o remanescente (0,65 euros) distribuído em 2011. A somar a estes 1,65 euros, há ainda os 0,65 euros que a empresa liderada por Zeinal Bava irá pagar, com base nos resultados obtidos este ano.

    Este "bolo" permite à PT apresentar um dividendo com uma rendibilidade de 22,9%, o que representa o retorno mais elevado entre as empresas presentes no Stoxx 600, o índice que agrega as maiores empresas da Europa. E salta assim para o radar de muitos investidores, tanto nacionais como internacionais, que têm uma estratégia de investimento orientada para os dividendos.

    Com este retorno, a operadora portuguesa destrona cotadas como a MAN Group, a GDF Suez, ou as espanholas Telefónica e Santander, no "top" das que têm dividendos mais apetecíveis. Contudo, esta posição é provisória. Porquê? A remuneração anunciada inclui um dividendo extraordinário, que tem como objectivo partilhar com os accionistas parte do encaixe com a venda da Vivo.

    Sem este efeito extraordinário, o retorno com o dividendo ordinário da PT seria de 6,4%, dada a cotação actual de 10,03 euros. Ainda assim, esta rendibilidade seria suficiente para deixar a operadora nacional entre as melhores aos olhos dos investidores, já que quem procura tirar partido dos dividendos não considera apenas o retorno actual. São muitos os que analisam o histórico de pagamento.




    Investidores atentos ao crescimento dos dividendos

    Para serem bem sucedidos nesta estratégia, os investidores devem garantir à partida que a empresa em que estão a investir remunera habitualmente os accionistas e, mais ainda, que o valor entregue anualmente vai crescendo. É isso que se observa nas cinco cotadas eleitas pelo Negócios. A GDF Suez é um bom exemplo. Nos últimos cinco anos, a remuneração aumentou em 26%.

    É esta elevada taxa de crescimento que tende a ser valorizada pelos investidores, até porque é nos dividendos que está a grande mais-valia dos investimentos no mercado accionista. No caso da bolsa de Lisboa, a análise realizada revela que mais de 95% dos ganhos nos últimos 10 anos foram gerados pela remuneração que as empresas entregam.

    Mesmo quem investe na bolsa com o objectivo de ganhar com os dividendos, procura também conseguir algum ganho com a valorização das acções. E foi nessa perspectiva, além do histórico dos dividendos e da rendibilidade da remuneração, que o Negócios elegeu as cinco empresas europeias mais atractivas. Todas contam com um forte percentagem de recomendações de "comprar".

    Estas recomendações, que têm por base um conjunto de bancos de investimento reunidos pela Bloomberg, dão ao investidor a perspectiva de, além do dividendo, vir a ganhar com a valorização dos títulos.

    A subida das acções implica, no entanto, uma redução da rendibilidade da remuneração que é entregue pela empresa, já que o retorno tem por base a cotação das acções no mercado.




    [​IMG]

    As cinco acções com o dividendo mais rentável

    No "ranking" europeu, a Portugal Telecom brilha. O dividendo especial garante aos investidores o retorno mais elevado do Velho Continente.


    Dividendo especial é a "arma" [​IMG]

    [​IMG]

    Portugal Telecom apresenta, actualmente, o dividendo mais rentável da Europa, isto considerando tanto a remuneração ordinária como a extraordinária. A operadora vai entregar 1,65 euros por acção, em resultado do encaixe obtido com a venda da Vivo à Telefónica, montante ao qual se soma o dividendo de 0,65 euros referente aos lucros de 2010. Considerando este dois valores, o retorno com os dividendos da PT será de 22,9%, à cotação actual. Excluindo a remuneração especial, é de 6,4%.


    Rendibilidade do dividendo
    22,9



    Retorno chega quase aos 9% [​IMG]

    [​IMG]

    A gestora de activos britânica é uma "gigante" no que respeita à remuneração que distribui anualmente aos seus accionistas. A projecção para os dividendos que a empresa irá entregar, com base nos resultados que irá ter este ano, a confirmar-se, configurará uma rendibilidade de 8,9%. Este retorno seria mesmo um dos mais elevados entre as empresas do Stoxx 600, se fosse considerado apenas o dividendo ordinário que a Portugal Telecom vai atribuir aos investidores.


    Rendibilidade do dividendo
    8,9%




    Crescimento de 26% no dividendo [​IMG]

    [​IMG]

    A GDF Suez fecha o "pódio" no que respeita aos dividendos mais rentáveis, entre as empresas do Velho Continente. A remuneração accionista apresenta uma rendibilidade de 8%, sendo que a este retorno com dividendos, junta-se um outro que deve sempre ser tido em conta pelos investidores com uma estratégia orientada para os dividendos, que é o crescimento da remuneração. Nos últimos cinco anos, a GDF Suez elevou em 26% o valor do dividendo distribuído.


    Rendibilidade do dividendo
    8,0%




    Banco mais rentável é espanhol [​IMG]

    [​IMG]

    O Santander é o único banco no "ranking" das empresas cotadas com o dividendo mais rentável na Europa. A instituição espanhola, presente em Portugal, oferece uma remuneração de 0,60 euros, que apresenta uma rendibilidade de 7%. Mas este é apenas um dos atractivos para os investidores, já que além do retorno elevado, o Santander deverá garantir ganhos com as próprias acções, já que a grande maioria das recomendações dos analistas para o banco são de "comprar".


    Rendibilidade do dividendo
    7,0%




    Retorno accionista aumentou em 21% [​IMG]

    [​IMG]

    A remuneração de 1,30 euros por acção apresenta uma rendibilidade de 6,7%, à cotação actual, coloca a operadora espanhola no lote das cinco cotadas europeias com o dividendo mais atractivo. A Telefónica destaca-se também pelo facto do valor do dividendo ser um dos que mais cresceu. Nos últimos cinco anos, de acordo com dados da Bloomberg, a empresa liderada por César Alierta elevou em mais de 21% o valor da remuneração que entrega anualmente aos seus accionistas.


    Rendibilidade do dividendo
    6,7%




    [​IMG]

    Fundos para ir atrás dos melhores dividendos

    Não precisa de ter acções de uma determinada empresa para poder usufruir dos dividendos que estas distribuem. Uma das melhores formas de beneficiar da remuneração aos accionistas é através dos fundos de investimento. O retorno pode chegar a 20%.

    [​IMG]




    [​IMG]Cinco regras para uma boa "caça"

    Não se deslumbre com um dividendo elevado. Pode ser uma ratoeira. Conheça as regras para uma boa estratégia na "caça" aos dividendos

    1. Mais que o dividendo, veja a rendibilidade
    São várias as empresas que acenam com dividendos elevados, de um, dois, três, ou mais euros por acção. Por mais apelativo que seja o valor absoluto da remuneração, não quer dizer que este seja um bom dividendo. Para determinar se é ou não atractivo, o investidor tem de analisar a rendibilidade do mesmo. Ela acha-se dividindo o valor da remuneração pela cotação da empresa, sendo que quanto mais elevado, melhor. Há empresas cujos dividendos apresentam rendibilidades de mais de 10%.

    2. Remuneração passada dá boas perspectivas futuras
    Há empresas que têm grandes dividendos, não só em valor, mas também em termos de rendibilidade. À primeira vista são uma boa opção para quem adopta uma estratégia de "caça" ao dividendo, mas como "nem sempre o que reluz é ouro", esta pode ser mais uma ratoeira. Porquê? O dividendo pode ser fruto de algum evento extraordinário. Por isso, deve ter sempre em conta a evolução da remuneração da empresa em que pretende investir. Quanto maior for o crescimento, melhor.

    3. Aposte no crescimento dos resultados
    Se a sua estratégia de investimento é orientada para os dividendos, tenha em atenção o crescimento passado da remuneração accionista mas também as perspectivas de evolução da mesma. Há várias empresas que têm definidas metas de crescimento da "fatia" dos lucros que vão entregar aos accionistas, muitas delas estabelecidas a longo prazo, o que permite aos investidores definir estratégias por antecipação. Crescimentos de dividendos de 3%, ou mais, ao ano, são boas oportunidades.

    4. Concilie dividendos com a valorização das acções
    A rendibilidade dos dividendos das cotadas sobe, ou desce, em função da cotação das acções das empresas. Em caso de queda dos títulos, o dividendo acaba por atenuar as perdas. Nas subidas, a remuneração é menos atractiva, mas neste caso o investidor beneficia da valorização das acções. E este é um aspecto a ter em conta. Ou seja, convém que a empresa em que investe tenha perspectivas de valorização futura na bolsa, sendo estas determinadas pelo potencial de crescimento do negócio e, consequentemente, dos lucros.

    5. Impostos podem arruinar uma boa remuneração
    Além de avaliar o dividendo e a respectiva rendibilidade, é preciso ter em conta a carga fiscal que incide sobre a remuneração accionista. Em Portugal, os dividendos são tributados a 21,5%, mas se quiser "importar" o dividendo de uma qualquer cotada estrangeira, a taxa é bem maior. É que irá pagar um imposto no país de origem e também em Portugal, sendo que no limite a retenção pode chegar a 50% do valor do dividendo. Este é um factor a ter em conta numa estratégia de investimento orientada para esta temática.







    in JNeg
     
DreamPortugal