[Dreambox Linux] - chmod permissões de acesso

Discussão em 'Manuais' iniciado por Zenet, Setembro 17, 2007.

  1. Zenet

    Zenet Old School

    O comando chmod, permite alterar as permissões de acesso aos ficheiros. Pode-se usar este comando via telnet, ou então com o dcc alterar os atributos directamente através do ftp.
    Em linux existem sempre 3 categorias para identificar o acesso a cada ficheiro: acesso do user (dono do ficheiro), group (grupo a que pertence o utilizador) e everyone (toda a gente)

    Cada ficheiro tem um conjunto de 3 números que lidos da esquerda para a direita estão associados a USER - GROUP - EVERYONE e que têm a seguinte interpretação:
    0 = --- No permission
    1 = --X Execute only
    2 = -W- Write only
    3 = -WX Write and execute
    4 = R-- Read only
    5 = R-X Read and execute
    6 = RW- Read and write
    7 = RWX Read, write and execute

    Portanto quando se tem um ficheiro com atributos 755, quer dizer que o dono do ficheiro pode ler, escrever e executar, os utilizadores do grupo só podem ler e executar e todos os utilizadores só podem ler e executar tb.

    Se fosse 644, o user so lê e escreve, o grupo só lê e o resto do pessoal só lê tb.

    Abraço
     
    orlucy e sat4fun gostam disto.
  2. use your illusion

    use your illusion Membro Digital

    Aqui fica mais uma achega ao post do zenet


    quantos de nós ja alterámos os "atributos" de um determinado file nas nossas dreambox's? e quantos de nós percebemos o porquê de ser 644 ou 755 ou 777? eu como gosto de perceber fui à procura e eis aki o resultado:




    PERMISSÕES DE ACESSO


    Sempre que um ficheiro ou directório é criado, o sistema operativo Linux atribui-lhe um conjunto de permissões de acesso. Estas permissões estão definidas por defeito, mas esse valor de defeito pode ser alterado pelo utilizador para os seus ficheiros. Também em qualquer altura o utilizador pode alterar as permissões dos seus ficheiros e directórios como se verá nas próximas secções. As permissões são conjuntos de 10 caracteres divididos em 4 conjuntos que podem ser visualizadas no primeiro campo impresso no ecran pelo comando ls –l.


    - | r w x | r w - | r - -


    Primeiro "-" :


    “-” – ficheiro de dados “d” – directório “c” – dispositivo de caracteres “b” – dispositivos de blocos “p” – ficheiro pipe “l” – link



    Segundo "r w x":


    Dono (owner)


    Terceiro "r w -":


    Grupo (group)


    Quarto "r - -":


    Todos os outros (others)


    Podemos constatar que é possível atribuir diferentes permissões a diferentes tipos de utilizadores:


    • Owner – o dono do ficheiro é normalmente a pessoa que o criou


    • Group – o grupo do ficheiro é normalmente o grupo a que o utilizador pertencia no
    momento em que criou o ficheiro, e refere-se aos utilizadores que pertencem ao mesmo grupo que o dono


    • Others – os outros são simplesmente todas as pessoas que não são o dono nem pertencem ao mesmo grupo que ele


    Cada uma das 3 posições dos caracteres na secção das permissões tem um significado especial que corresponde a 3 diferentes tipos de permissões que cada ficheiro ou directório possui e tem um determinado significado:


    • Read – a existência da permissão de leitura indica que é possível ler o conteúdo do ficheiro


    • Write – a existência da permissão de escrita indica que é possível escrever ou alterar o conteúdo do ficheiro


    • Execute – a existência da permissão de execução indica que é possível, pelo menos, fazer uma tentativa para executar (“correr”) o ficheiro como um comando Linux ou um utilitário


    Estas permissões são óbvias quando se referem a ficheiros: é necessário ter permissão de read (“r”) para fazer o cat do conteúdo do ficheiro, é necessário ter permissão de write (“w”) para editar e é necessário ter permissão de execute (“x”) nos ficheiros criados executáveis ou contendo scripts Linux para que seja possível “executá-los”. Mas já não são tão óbvias quando se referem a directórios: read (“r”) permite ver o conteúdo do directório, isto é, os ficheiros nele contidos, write (“w”) permite copiar ficheiros para o directório ou apagá-los do directório, execute (“x”) também designada permissão de pesquisa permite “ir para” o directório com o comando cd ou usar o directório em qualquer tipo de pathname.


    ALTERAR PERMISSÕES DE ACESSO


    Se as permissões atribuídas por defeito pelo sistema operativo não forem adequadas, podemos alterá-las como o comando chmod (change mode). Este comando permite alterar as permissões de cada ficheiro ou directório que nos pertença. A sintaxe do comando é a seguinte:


    chmod expressão_permissões ficheiro ...


    Octal Tipo de Permissão Representação Linux Binário

    0 nenhuma - (000)
    1 execute x (001)
    2 write w (010)
    3 write e execute wx (011)
    4 read r (100)
    5 read e execute rx (101)
    6 read e write rw (110)
    7 read, write e execute rwx (111)


    Existe outro tipo de expressão que pode ser usado com o comando chmod. Esse tipo de expressão usa mnemónicas para especificar permissões.

    Uma série de códigos mnemónicos podem ser usados em vez de números em octal e são apresentados nos quadros seguintes:

    Classes de utilizadores

    u User (dono)
    g Group (grupo)
    o Others (outros)
    a All (todos)

    Operações de permissões

    + adiciona
    - retira
    = estabelece

    Valores das permissões

    r read
    w write
    x execute

    artigo completo em _http://www.guiaubuntupt.org/wiki/index.php?title=Comandos_basicos
     
    Última edição: Setembro 18, 2007
    orlucy e sat4fun gostam disto.
DreamPortugal