Está aberta uma nova guerra entre farmácias e Ana Jorge

Discussão em 'Nacional (Notícias)' iniciado por JuizDidi, Novembro 11, 2010.

  1. JuizDidi

    JuizDidi Staff Moderador Temático Membro Gold


    Comunicado

    Está aberta uma nova guerra entre farmácias e Ana Jorge


    11/11/10

    A associação dirigida por João Cordeiro acusa a ministra da Saúde de incapacidade de gestão e de fugir às responsabilidades.

    A Associação Nacional de Farmácias teceu hoje duras críticas à ministra da Saúde, depois de Ana Jorge, em declarações ao Económico, ter responsabilizado as farmácias pelo aumento do consumo de medicamentos no mês de Setembro (um crescimento de 12,4%). " Foram relatados casos em que as farmácias telefonaram aos utentes recomendando a compra dos medicamentos em quantidade. Houve, também, uma campanha da Associação Nacional de Farmácias que estipulava as pessoas a anteciparem a aquisição dos medicamentos já prescritos", afirmou fonte oficial do Ministério da Saúde.
    As declarações da ministra abriram uma nova guerra entre as farmácias e a tutela, depois de ter sido desbloqueado, esta semana, o impasse sobre o reembolso dos medicamentos dos beneficiários da ADSE.
    Num comunicado enviado às redacções, a ANF "repudia, por falta de seriedade, as declarações da Senhora Ministra da Saúde", e diz que o aumento da despesa com remédios em Setembro " resultou exclusivamente do facto da Senhora Ministra da Saúde ter anunciado, no princípio do mês, que ia reduzir drasticamente as comparticipações a partir do dia
    1 de Outubro. O anúncio de que ia retirar o preço das embalagens dos medicamentos está, também, na origem desse crescimento, porque agravou drasticamente a desconfiança dos utentes", acrescenta a associação.
    "As declarações da Senhora Ministra da Saúde são uma tentativa de sacudir as responsabilidades que tinha a obrigação de assumir", diz o comunicado, que acusa ainda o Ministério da Saúde falta de "capacidade" e "coragem para identificar os problemas e tomar as medidas adequadas".
    A ANF exige um pedido de desculpas da ministra da Saúde às farmácias e aos farmacêuticos.
    A Associação de Farmácias de Portugal também lamentou hoje as palavras de Ana Jorge: "A Senhora Ministra faz por esquecer dois aspectos:
    primeiro, sabe que os doentes aviam medicamentos porque os médicos os prescrevem; segundo, sabe, também, que foram as políticas do governo face ao medicamento que levaram a esta situação".



    in DE
     
Engisat