Indemnizações do despedimento colectivo na Groundforce deverão ascender a 11 milhões

Discussão em 'Economia e Finanças' iniciado por JuizDidi, Novembro 10, 2010.

  1. JuizDidi

    JuizDidi Staff Moderador Temático Membro Gold

    Indemnizações do despedimento colectivo na Groundforce deverão ascender a 11 milhões


    Fernando Melo, administrador-delegado da Groundforce sublinhou hoje que não havia alternativa ao despedimento colectivo de 336 pessoas em Faro porque a empresa tinha 8 milhões de prejuízos por ano.


    [​IMG]


    “Infelizmente tivemos que chegar a esta situação. Andámos a adiar há dois anos esta tomada de decisão. Isto é muito penoso para todos nós”, sublinhou Fernando Melo em conferência de imprensa, acrescentando que a empresa em Faro “factura 5 milhões de euros por ano e tem 13 milhões de custos. Ou seja tem 8 milhões de prejuízos por ano em Faro. E portanto esta situação é completamente insustentável”.

    “Em paralelo, fomos notificados pelo INAC para apresentar um plano de reestruturação da empresa. E porquê? Porque para o ano serão atribuídas as novas licenças de ‘handling’ onde se nós não mostrarmos sustentabilidade da empresa à luz das leis comunitárias, não será atribuída a licença de ‘handling’ à Groundforce”. O responsável disse ainda que informaram a tutela e os sindicatos e que, para o despedimento colectivo “a base de partida é o que está na lei”, acrescentando que o montante das indemnizações será “aproximadamente de 10 a 11 milhões de euros”.

    Fernando Melo sublinhou também que, “se não for revisto o acordo da empresa isso traz sérios problemas”.




    in JNeg
     
  2. JuizDidi

    JuizDidi Staff Moderador Temático Membro Gold

    Groundforce vai fazer despedimento colectivo no aeroporto de Faro

    Groundforce vai fazer despedimento colectivo no aeroporto de Faro


    Subsidiária da TAP irá anunciar ainda hoje o despedimento colectivo de 336 trabalhadores.

    A Groundforce, empresa participada da TAP, vai anunciar o despedimento colectivo de todos os trabalhadores que trabalham nas operações do aeroporto de Faro, num total de 336, soube o Negócios. A decisão vai ser comunicada numa conferência de imprensa convocada para as 16h30 pelo administrador-delegado da Groundforce, Fernando Melo.

    O despedimento colectivo resulta da incapacidade de dar a volta ao resultados cronicamente negativos apresentados pela Groundforce em Faro. A empresa de ‘handling’ (tratamento de bagagens), além de Faro, tem operações em Lisboa, Porto e Madeira.




    in JNeg
     
LMPC