"Não preciso de muito dinheiro para ser feliz"

Discussão em 'Economia e Finanças' iniciado por JuizDidi, Novembro 11, 2010.

  1. JuizDidi

    JuizDidi Staff Moderador Temático Membro Gold


    Estilista

    "Não preciso de muito dinheiro para ser feliz"


    11/11/10

    O estilista Miguel Vieira diz que se ganhasse o Euromilhões abria uma loja nas principais capitais da moda, com Paris e Milão a encabeçar a lista.

    O estilista Miguel Vieira anda sempre com a cabeça no futuro. O relógio do estilista natural de São João da Madeira não está apenas umas horas adiantado: está muitos meses à frente. Uma prova? Está prestes a terminar a colecção de Outono/Inverno de 2011/2012. A sua visão futurista não o impede de ter os pés bem assentes na terra. No chão. No presente. Apesar do sucesso das suas colecções, Miguel Vieira garante que não precisa de muito dinheiro para viver, nem é pessoa de gastos excessivos. O seu calcanhar de Aquiles são os hotéis de charme e ‘design'.

    Na sua opinião, o que o dinheiro não compra?
    A saúde. E penso que não é preciso explicar porquê....

    Lembra-se do seu primeiro ordenado?
    Lembro-me de o receber, mas não me recordo exactamente qual foi o valor. Tinha 13 anos e ganhei o meu primeiro salário durante um trabalho que arranjei durante os três meses de férias de Verão na Câmara Municipal de São João da Madeira. A minha tarefa era passar a limpo as plantas que os arquitectos desenhavam das ruas da cidade. Lembro-me que guardei esse dinheiro para ir a Paris.

    Na gestão do seu dinheiro considera-se uma pessoa poupada? Ou nem por isso?
    Sou uma pessoa poupada. Para mim, basta ir às compras no supermercado sem ter de me preocupar se tenho ou não dinheiro para fazê-las, para ser uma pessoa feliz. Não ligo muito ao dinheiro. Não preciso de muito para ser feliz.

    O que o faz perder a cabeça?
    Os hotéis. Passo 80% do meu tempo fora do País. E, por uma questão de conforto, gosto de ficar em hotéis de charme ou de design. Não é apenas por uma questão de comodidade, mas também por razões profissionais. Gosto de observar as pessoas que circulam nestes espaços e de admirar a arquitectura destes hotéis. Muitas vezes são uma fonte de inspiração. Também gasto algum dinheiro em livros e revistas.

    O que faria se ganhasse o Euromilhões?
    Jamais deixava de trabalhar. Tenho a sorte de ser muito feliz a fazer o que faço. Mas se ganhasse o Euromilhões gostava de expandir internacionalmente a marca Miguel Vieira: abria uma loja nas principais capitais da moda, como Paris e Milão.

    Como se classifica como investidor: conservador ou agressivo?
    Sou completamente conservador na gestão do meu dinheiro. Olho para os investimentos com um perfil de risco mais elevado como se fossem um jogo. E sou anti-jogo.

    Como escolhe as aplicações financeiras onde investe o seu dinheiro?
    Peço aconselhamento ao meu pai que é bancário, mas também à minha irmã que também está ligada ao sector financeiro. Porque eu nunca gostei muito desta área. Não ligo a nada. Aliás, se me perguntar quanto dinheiro tenho, não lhe sei dizer, porque não faço ideia.




    in DE
     
Génio Digital