Nove em cada dez portugueses está satisfeito com o emprego

Discussão em 'Economia e Finanças' iniciado por JuizDidi, Novembro 4, 2010.

  1. JuizDidi

    JuizDidi Staff Moderador Temático Membro Gold


    ONU

    Nove em cada dez portugueses está satisfeito com o emprego

    Económico com Lusa
    04/11/10

    53% dos portugueses não gosta do seu padrão de vida mas a maioria diz-se satisfeita com o seu emprego, revela um estudo da ONU.

    Estes números constam do Relatório de Desenvolvimento Humano hoje divulgado pelas Nações Unidas, que este ano avaliou a situação de 169 países no que toca ao bem-estar das populações. Portugal surge em 40.º lugar do 'ranking', tendo descido seis lugares face ao ano passado, embora permanece no grupo dos países de "desenvolvimento humano muito elevado".
    Os portugueses consideram-se mais ou menos bem "com a vida em geral": numa escala de zero a dez posicionam-se em 5,7. Numa análise por items, percebe-se que o problema passa pelo "padrão de vida", já que 90% dizem-se satisfeitos com o emprego e 80% com a saúde pessoal. No entanto, apenas 47% se considera satisfeito com o "padrão de vida" que tem actualmente.
    Ainda no universo do trabalho, 18,5% dos trabalhadores portugueses têm empregos vulneráveis, ou seja, estão "envolvidos em trabalho familiar não pago e trabalho por conta própria".
    Os números de 2008, que são aqueles que integram o relatório, mostram que 55,7% da população entre os 15 e os 61 anos estava empregada, sendo a situação mais problemática para as pessoas com mais qualificações académicas. Nesse ano, 8% das pessoas com ensino primário ou
    inferior estavam desempregadas contra 15,6% de pessoas com ensino secundário ou superior.
    Comparando com a Noruega, que ocupa o primeiro lugar do 'ranking', os desempregados com menos estudos são cerca de 6% contra 3% de desempregados com ensino secundário ou superior.
    No item "trabalho infantil", Portugal e Barém são os únicos países com "desenvolvimento humano muito elevado" onde foram detectados casos. Assim, segundo o relatório, 3% das crianças (5-14 anos) têm algum tipo de trabalho, enquanto no Barém (39.º lugar no 'ranking') a percentagem sobe para 5%.
    Segundo a tabela sobre bem-estar cívico e comunitário, sete em cada cem pessoas foram assaltadas em Portugal, mais do dobro do relatado
    pelos noruegueses (3%), país que surge em primeiro lugar no 'ranking' mundial. Ainda assim, seis em cada dez portugueses diz sentir-se seguro.



    in DE
     
LMPC