Ouro volta a subir e prata está em máximos de 30 anos

Discussão em 'Economia e Finanças' iniciado por JuizDidi, Novembro 3, 2010.

  1. JuizDidi

    JuizDidi Staff Moderador Temático Membro Gold

    Ouro volta a subir e prata está em máximos de 30 anos


    Os metais preciosos continuam a brilhar. O optimismo está do lado do ouro e da prata, devido ao optimismo com a reunião da Fed.


    [​IMG]


    O metal amarelo regressou aos ganhos no mercado nova-iorquino, sustentado pela convicção de que a Reserva Federal norte-americana irá anunciar medidas adicionais de estímulo à economia.

    Esta expectativa está também a animar as bolsas na sessão de hoje, e a penalizar a nota verde – o que anima ainda mais os metais preciosos e os restantes activos denominados em dólares, já que ficam mais atractivos como investimento alternativo.

    Por outro lado, o facto de as taxas de juro nos EUA se manterem entre os 0% e os 0,25% desde Dezembro de 2008 torna o ouro mais competitivo face às acções – que pagam dividendos – e às obrigações – que pagam juros.

    “Muitas pessoas afirmam neste momento que o ‘quantitative easing’ nunca acabará”, comentou à Bloomberg um gestor de produto do departamento de metais preciosos no Barclays Capital, Jonathan Spall.

    Os futuros do ouro para entrega em Dezembro seguem a subir 0,5% para 1.357,60 dólares por onça no mercado de Nova Iorque. O nível mais alto de sempre foi atingido no passado dia 14 de Outubro, nos 1.387,35 dólares.



    [​IMG]


    Prata acompanha tendência de subidas

    Também a prata segue o mesmo movimento altista, em máximos de 30 anos. O contrato de Dezembro deste metal precioso avança 1,4% em Nova Iorque, para 24,89 dólares por onça.

    Ainda no grupo dos metais preciosos, a platina e o paládio para entrega em Dezembro estão igualmente a negociar no verde.

    Recorde-se que os mercados estão à espera que a Fed anuncie amanhã um programa adicional de compra de pelo menos 500 mil milhões de dólares em activos. Em declarações ao “Market Watch”, o analista Tony Crescenzi da Pimco salientou que se a Fed avançar com um valor adicional de compra de obrigações abaixo do esperado, isso poderá desapontar o mercado.

    O certo é que os investidores crêem que a Reserva Federal norte-americana irá continuar a tentar estimular a economia pela via de novas emissões de moeda, pelo que há quem receie que as suas políticas só sirvam para penalizar ainda mais o dólar e intensificar a inflação nos próximos anos – dois factores que contribuem para sustentar o ouro, cujo estatuto de valor-refúgio fica realçado, refere o “The Wall Street Journal”.




    in JNeg
     
LMPC