PETRÓLEO - Notíçias de 01/11/2010

Discussão em 'Economia e Finanças' iniciado por JuizDidi, Novembro 1, 2010.

  1. JuizDidi

    JuizDidi Staff Moderador Temático Membro Gold

    Fed e dólar animam petróleo


    Expectativa de medidas adicionais de estímulo da economia pela Reserva Federal está a pressionar o dólar, o que impulsiona as cotações do crude.


    [​IMG]


    Os preços do petróleo seguem a negociar no verde, sustentados essencialmente pela queda do dólar.

    Quando a nota verde desvaloriza, as matérias-primas denominadas em dólares ficam mais atractivas para os investidores, sendo precisamente o que está a acontecer esta manhã.

    A moeda norte-americana está a ser penalizada devido à especulação de que a Reserva Federal irá anunciar esta semana uma nova ronda de medidas de estímulo à economia, o que deixa prever um aumento do consumo de energia.

    No mercado nova-iorquino, o crude de referência (WTI) para entrega em Dezembro avança 0,47%, fixando-se nos 81,81dólares por barril.

    Em Londres, o Brent do Mar do Norte, que serve de referência às importações portuguesas, regista um acréscimo de 0,26%, a negociar nos 83,37 dólares por barril.




    in JNeg
     
    reves gosta disto.
  2. JuizDidi

    JuizDidi Staff Moderador Temático Membro Gold

    Petróleo dispara 2% rumo aos 85 dólares


    Energia

    Petróleo dispara 2% rumo aos 85 dólares

    01/11/10

    Os preços do crude sobem mais de 2% movidos pelo anúncio de que a indústria chinesa registou a maior expansão em seis meses.

    O barril de ‘brent', a referência para as importações portuguesas, subia agora 2,2% para 85 dólares por barril em Londres, enquanto o crude escalava 2,5% para 83,44 dólares em Nova Iorque. Em ambos os mercados, o petróleo está no preço mais elevado desde 14 de Outubro.
    Os especialistas explicam estas subidas com base no anúncio do crescimento da produção industrial na China e perante as expectativas de que a Reserva Federal dos Estados Unidos anuncie esta semana novas medidas de estímulo à economia do país.
    "A combinação dos fortes dados da indústria chinesa e as expectativas de que a Fed anuncie novas operações de compra de activos, estão a dar boas razões aos investidores para permanecer no mercado", explicou Phil Flynn, vice-presidente da consultora PFGBest, em Chicago, à Bloomberg.
    Também a indústria americana surpreendeu pela positiva o mercado. Os investidores ficaram a saber que o índice ISM, que mede a actividade industrial na maior economia do mundo, subiu para 56,9 pontos em Outubro, face aos 54,4 pontos verificados no mês anterior, quando os economistas previam uma descida para os 54 pontos.



    in DE
     
LMPC