PETRÓLEO - Notíçias de 07/11/2010

Discussão em 'Economia e Finanças' iniciado por JuizDidi, Novembro 7, 2010.

  1. JuizDidi

    JuizDidi Staff Moderador Temático Membro Gold


    Crude

    Petróleo avança para novo máximo de dois anos


    07/11/10

    As novas medidas de estímulo económico da Fed aumentaram o ‘appeal’ do “ouro negro” como investimento alternativo, sobretudo num ambiente de dólar fraco.

    Nos últimos dias a expressão "ouro negro" fez ainda mais sentido. A cotação do petróleo nos mercados internacionais subiu para valores próximos de máximos de dois anos. O barril de crude, negociado em Nova Iorque, chegou a negociar ontem nos 87,22 dólares, o valor mais elevado desde Outubro de 2008. Já o barril de ‘brent', transaccionado em Londres, tocou os 88,8 dólares, um máximo de Maio de 2010. Na semana, o crude e o ‘brent' valorizaram 6,4% e 5,7%, e seguiam a negociar ontem nos 86,61 e 87,93 dólares, respectivamente. A recente escalada da matéria-prima resulta sobretudo da conjugação de dois factores: as medidas de estímulo económico anunciadas esta semana pela reserva federal norte-americana e a perda de valor do dólar.
    Recorde-se que a Fed anunciou quarta-feira que vai avançar com um novo programa de compra de títulos do Tesouro, no montante de 600 mil milhões de dólares até meados de 2011, o que poderá ajudar aquela que é a maior economia consumidora mundial de crude a crescer. A continuação da perda de força do dólar face ao euro (recuou para mínimos de nove meses), também tem dado força ao petróleo. Quando a moeda norte-americana desvaloriza, os activos denominados em dólares tornam-se mais atractivos como alternativa de investimento. "Os preços do petróleo continuam respondendo ao contexto macroeconómico (...) e o novo programa de ajudou a elevar as expectativas de inflação e a debilitar o dólar", comentou Hussein Allidina, da Morgan Stanley.
    Essa situação fez com que a JPMorgan e o Bank of America Merrill Lynch previssem na última semana que o crude possa ultrapassar os 100 dólares por barril no próximo ano, o que já não acontece desde a crise financeira de 2008. A JP Morgan reviu mesmo a sua estimativa para o preço médio do crude no próximo ano para os 89,75 dólares, face aos anteriores 82,50 dólares. Mas nem todas as opiniões vão no mesmo sentido. "Não acredito que vejamos o petróleo nos 100 dólares em 2011", afirmou o secretário-geral da OPEP, Abdulla El-badri, em Viena.



    in DE
     
Engisat