Portugal recupera "num único ano" o "essencial" das exportações perdidas em 2009

Discussão em 'Economia e Finanças' iniciado por JuizDidi, Novembro 10, 2010.

  1. JuizDidi

    JuizDidi Staff Moderador Temático Membro Gold

    Portugal recupera "num único ano" o "essencial" das exportações perdidas em 2009


    Sócrates garantiu hoje que a subida de 15% das exportações portuguesas, entre Janeiro e Setembro, permitiu ao país, "num único ano", recuperar "o essencial" do que foi perdido em 2009.


    [​IMG]


    O primeiro-ministro, José Sócrates, garantiu hoje que a subida de 15% das exportações portuguesas, entre Janeiro e Setembro, permitiu ao país, "num único ano", recuperar "o essencial" do que foi perdido em 2009.

    No final do ano passado, depois de Portugal ter assistido, "salvo erro, a 17% de quebra nas exportações", foi dito, lembrou José Sócrates, que o país ia "precisar de três anos" para recuperar "as exportações".

    "A verdade que é, num único ano, nós recuperámos o essencial. Não chegámos ainda, para ser preciso, àquilo que perdemos em 2009, mas recuperámos já o essencial", contrapôs.

    O primeiro-ministro discursava no concelho de Ferreira do Alentejo, durante a cerimónia de inauguração do primeiro lagar em Portugal do grupo Sovena, o segundo maior operador de azeite do mundo.

    As exportações foram uma das tónicas, a par da inovação, que dominaram a intervenção de Sócrates, que se escusou a prestar declarações aos jornalistas, no final.

    Na terça-feira, evocou o primeiro-ministro, foram também "divulgadas as estatísticas do comércio internacional durante o mês de Setembro".

    "Mais uma vez, as exportações cresceram em Setembro, comparadas com o mês de setembro do ano passado. Mas o dado mais importante é que, entre Janeiro e Setembro deste ano, as nossas exportações cresceram 15%", frisou.

    Dados que demonstram que, em Portugal, "há, todos os dias, empresários trabalhadores que estão a dar o seu melhor para a recuperação do país", sublinhou.

    Este desempenho das exportações é também elucidativo, segundo José Sócrates, de que o país tem "uma economia com vontade, capacidade e ambição para fazer face às dificuldades do momento presente."

    O Chefe do Governo lembrou ainda que, no ano passado, Portugal "teve uma recessão económica, mas foi dos países que melhor resistiu à recessão".

    "Nós tivemos um decréscimo no nosso produto [Produto Interno Bruto] de 2,7%. A média europeia foi de quatro por cento. Resistimos melhor do que os outros países", afiançou.



    in JNeg
     
Génio Digital