PT sofre quatro "downgrades" com "fim das boas notícias"

Discussão em 'Economia e Finanças' iniciado por JuizDidi, Novembro 4, 2010.

  1. JuizDidi

    JuizDidi Staff Moderador Temático Membro Gold


    Telecom

    PT sofre quatro "downgrades" com "fim das boas notícias"


    04/11/10

    Natixis, BNP Paribas, Citigroup e Deutsche Bank baixaram hoje as avaliações para as acções da Portugal Telecom.

    • Natixis
    "O grupo anunciou ontem uma política de remuneração dos accionistas mais generosa. Depois da subida de 35% das acções nos últimos seis meses, acreditamos que as boas notícias já estão largamente reflectidas no preço", explica o analista Benoît Maynard, numa nota de análise a que o Económico teve acesso.
    Por isso, o banco francês desceu a recomendação de ‘Comprar' para ‘Neutral', apesar de rever em alta ligeira o 'target'. "Estamos a adoptar um ‘rating' de Neutral para a Portugal Telecom, com um preço-alvo de 11 euros, ligeiramente acima dos anteriores 10,55 euros", o que representa uma subida de 4%.
    Continua o banco francês que "as notícias da política de dividendos mais generosa do grupo serão um suporte fundamental para o título nos próximos meses. Mas consideramos que grande parte da história já está reflectida no preço do título".
    Precisa o Natixis que, por um lado, o contexto macroeconómico de Portugal "sugere alguma cautela no que respeita a estimativas para 2011. Por outro lado, a aquisição de 22,4% da Oi/Telemar não deve acontecer, partindo do princípio que tudo corre bem, até ao primeiro trimestre de 2011".
    • Exane BNP Paribas
    Numa nota de análise intitulada "O melhor já acabou - Contexto doméstico duro está no horizonte", o banco francês diz que a nova política de dividendos da PT está "largamente em linha com as expectativas" e desce a sua recomendação para ‘underperform' de 'comprar' com um preço-alvo de 10,7 euros (sem alterações).
    "Cortámos as nossas estimativas para a PT. Incluímos todos os impactos dos negócios da Oi/Vivo" e também a transferência do fundo de pensões, explica o analista Mathieu Robilliard, em nota de análise.
    • Citigroup
    O banco norte-americano cortou a recomendação para os títulos da PT de ‘comprar' para ‘manter', deixando o preço-alvo inalterado nos 11 euros.
    "As acções da PT têm estado em forte alta em antecipação ao anúncio de um pagamento aos accionistas que chegou a 3 de Novembro", nota o analista Simon Weeden. A partir daqui, continua, "esperamos que os investidores se foquem mais na performance operacional do mercado doméstico, enfrentando uma economia fraca e mais medidas de austeridade, além da conclusão do negócio com a Telemar no primeiro trimestre de 2011", explica o Citi.
    Neste cenário, o banco norte-americano deixou o target inalterado nos 11 euros e desceu a recomendação para ‘manter' de ‘comprar'".
    • Deutsche Bank
    Os analistas do banco alemão afirmam numa nota de análise de hoje que "dois terços da transformação da PT está completa, depois da venda da Vivo e do anúncio da nova política de remuneração dos accionistas".
    Continua o analista David-A Wright que "resta agora à PT concluir o investimento na Oi e convencer os accionistas de que o prémio foi justificado", o que pode levar algum tempo, enquanto "o mercado doméstico está a sofrer um aumento das pressões".
    O Deutsche Bank conclui assim que com "catalisadores positivos fora de cena e valorização/novos dividendos mais em linha com o preço-alvo e os pares do sector, revimos em baixa a recomendação para ‘Hold'".
    O banco alemão tem um 'target' de 10,6 euros para a empresa liderada por Zeinal Bava.
    • Nomura e Barclays mantêm recomendações
    O banco japonês e o britânico Barclays também dedicaram hoje uma nota de análise, cada um, à PT.
    O Nomura diz que os resultados da operadora "reflectiram um forte desempenho em África, mas evidenciaram que as operações domésticas estão a ficar sob pressão crescente".
    O banco nipónico manteve a avaliação em 'Neutral' e o 'target' em 10,5 euros.
    Já o Barclays nota que "a PT apresentou resultados que mostram uma tendência de queda no mercado doméstico móvel com as medidas de austeridade a começarem a fazer efeito".
    Do lado positivo, o banco britânico destaca que a empresa anunciou um dividendo excepcional de 1,65 euros por acção, sendo que 1 euro será pago em Dezembro e o restante em 2011.
    No final, o Barclays subiu o preço-alvo de 11,5 para 12 euros, mantendo a recomendação de 'overweight'.
    As acções da PT perdiam 3,74% para 10,30 euros, depois de terem estado já a afundar mais de 4% durante a sessão, o pior desempenho em três meses e meio.
    A PT revelou ontem lucros de 5,617 mil milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, acima do esperado. Em 2010, as acções acumulam uma subida de 21%.

    • Nota: o investidor deve consultar estas notas de ‘research' integralmente, solicitando-as à casa de investimento que o realizou.



    in DE
     
  2. JuizDidi

    JuizDidi Staff Moderador Temático Membro Gold

    Bancos de investimento castigam acções da Portugal Telecom

    Bancos de investimento castigam acções da Portugal Telecom


    As acções da Portugal Telecom caem mais de 3%, depois de três casas de investimento terem cortado a recomendação dos títulos, considerando que a remuneração accionista já está reflectida na cotação dos títulos.


    [​IMG]



    Três casas de investimento reviram em baixa a recomendação das acções da , considerando que a cotação actual já incorpora o plano de remuneração aos accionistas ontem anunciado.

    As acções da operadora reflectem estas revisões em baixa, registando uma quebra de 3,32% para 10,345 euros, anulando assim os ganhos conseguidos na sessão de ontem, em reacção ao anúncio do pagamento de um dividendo extraordinário de 1,65 euros por acção e subida do dividendo extraordinário para 0,65 euros.

    O Deutsche Bank reviu em baixa a recomendação dos títulos de “comprar” para “manter” e cortou o preço-alvo de 11,70 para 10,50 euros, considerando que os catalisadores que a PT tinha estão agora afastados.

    “A transformação da PT está completada em dois terços, depois de vender a Vivo e anunciar a remuneração aos accionistas. Resta agora à PT completar o investimento na Oi e convencer os accionistas que o prémio a que transacciona em bolsa é justificado”, diz o Deutsche Bank, concluindo que a tarefa “pode demorar tempo” e enquanto tal não acontece “os activos domésticos estão a sofrer uma pressão adicional”.

    O Natixis também cortou o “rating” da PT para “neutral”, apesar de ter elevado o preço-alvo de 10,50 para 11 euros. E a conclusão é semelhante, com a casa de investimento francesa a considerar que a subida recente das acções já reflecte a avaliação dos títulos e os últimos desenvolvimentos.

    O Citigroup também baixou a recomendação da PT de “comprar” para “manter”, mantendo o preço-alvo da operadora em 11 euros.

    Já o a Goldman Sach subiu o preço-alvo da PT de 10,6 para 10,80 euros e manteve a recomendação de neutral para os títulos, considerando que o plano de remuneração aos accionistas já está reflectido na cotação dos títulos, numa altura em que o negócio em Portugal está a enfraquecer.




    in JNeg
     
Génio Digital