Região Centro ganha oito mini hídricas.

Discussão em 'Energia Hidroelétrica' iniciado por Numerico, Novembro 2, 2010.

  1. Numerico

    Numerico Staff Moderador Temático Membro Gold

    Concursos lançados pela ARHC destinam-se à atribuição de concessões para a captação de água do domínio público hídrico, para produção de energia hidroeléctrica
    São 29MW (Megawatts) de potência, a instalar na rede hidrográfica sob a jurisdição da Administração da Região Hidrográfica do Centro IP (ARHC). O concurso público para a adjudicação de contratos de implantação e de concessão de mini hídricas está lançado. Depois de atribuídas as licenças, segue-se a “responsabilidade” de cada um dos vencedores de erguer a infra--estrutura física que vai permitir a produção de energia eléctrica a partir do recurso água.

    Os lotes lançados a concurso foram devidamente seleccionados e identificados pela ARHC. O mais significativo localiza-se no rio Mondego, abrangendo os concelhos de Penacova e Vila Nova de Poiares, onde a mini hídrica a concretizar terá uma potência instalada de 9MW. Será a infra-estrutura com maior potência, tendo em conta que é também este o rio com maior caudal e maior capacidade de produção de energia hidroeléctrica. Ainda no distrito de Coimbra, foi lançado o concurso público para um troço do rio Alva, localizado nos concelhos de Arganil e Tábua, que terá uma potência de 2MW.

    No distrito de Viseu, está a concurso um lote num troço do rio Criz, no concelho de Tondela, que terá uma potência de 1MW, um lote referente aos troços dos rios Dinha e Pavia e ribeiras de Asnes e Sasse, nos concelhos de Tondela e Viseu, com 7MW de potência, um lote no rio de Mel, no concelho de Castro de Aire, com uma potência de 2MW, um troço de um afluente do rio Alfusqueiro, no concelho de Oliveira de Frades, com uma potência de 1MW, e ainda um lote no rio Troço, localizados nos concelhos de S. Pedro do Sul e Vouzela, que terá uma potência instalada de 4MW. No distrito de Aveiro, está lançado o concurso para um lote no rio Arões, localizado no concelho de Sever do Vouga, que terá 3MW de potência.

    Os concursos, segundo informação da ARHC, destinam-se à «atribuição de concessões para a captação de água do domínio público hídrico, para a produção de energia hidroeléctrica e para a concepção, construção, exploração e conservação das respectivas infra-estruturas hidráulicas». De salientar ainda que está prevista a reserva de capacidade de injecção de potência na rede eléctrica de serviço público, bem como a identificação de pontos de recepção em cada um dos lotes, que permitam a passagem da energia eléctrica produzida nas centrais hidroeléctricas para a rede.

    Conquistada a licença, os vencedores de cada um dos concursos públicos internacionais garantem uma concessão por 45 anos da utilização privativa de recursos hídricos do domínio público para a produção de energia hidroeléctrica. O Estado ganha contrapartidas financeiras.

    Esta constitui a primeira fase de lançamento de concurso públicos de concessões, que decorrem em simultâneo na ARH Norte e ARH Tejo, num total de 150MW de potência instalada.
    Até final de 2011 serão postos a concurso a nível nacional, segundo a ARHC, novos lotes e um total de 100 MW de potência. Desta forma, o Estado atinge as metas previstas para 2020, no que ao capítulo das mini hídricas diz respeito.



    Diário de Coimbra
     
SatLine 24