Tolerância de ponto pela cimeira da NATO é "ridículo"

Discussão em 'Nacional (Notícias)' iniciado por JuizDidi, Novembro 14, 2010.

  1. JuizDidi

    JuizDidi Staff Moderador Temático Membro Gold


    Marcelo

    Tolerância de ponto pela cimeira da NATO é "ridículo"

    14/11/10

    Marcelo Rebelo de Sousa fez severas críticas à decisão do Governo de decretar tolerância de ponto em Lisboa por causa da cimeira da NATO.

    "Quero manifestar a minha mais veemente criítica contra a tolerância de ponto pela Cimeira da NATO. É um provincianismo. É de um ridículo um País que está nesta crise financeira, por causa de uma cimeira faz tolerância de ponto no município capital do País", afirmou hoje Marcelo, na TVI.
    E insistiu o comentador: "É uma coisa do outro Mundo. Para os outros verem bem como é gerido este País.
    O Conselho de Ministros decretou, na passada quinta-feira, tolerância de ponto em Lisboa para o próximo dia 19, o primeiro da cimeira NATO, alegando "razões de segurança".
    A cimeira da NATO realiza-se em Lisboa nos dias 19 e 20 deste mês e contará com a presença de cerca de 60 chefes de Estado e de Governo.



    in DE
     
  2. JuizDidi

    JuizDidi Staff Moderador Temático Membro Gold

    Vento


    Opinião

    Vento

    João Paulo Guerra
    15/11/10

    Não estava previsto, como garantiu um membro do Governo, mas passou a estar: Sexta-feira há tolerância de ponto em Lisboa, excepto para 60 chefes de Estado e de Governo, respectivas comitivas e guarda-costas, para além de um batalhão de polícias mobilizado para garantir a segurança da Cimeira da NATO, em especial contra a ocorrência de um atentado terrorista que o ministro da Administração Interna tem a profunda convicção que estará iminente.

    O ministro foi acusado de "alarmista", mas que seria dos sistemas de alarmes se não fossem os alarmistas? Se não houver atentado - como se espera - o ministro vai dizer que mais vale prevenir que remediar. Se houver, o ministro vai proclamar a sua presciência: "Eu não dizia?".
    A convicção do ministro baseia-se na presença, que já terá sido detectada em Portugal por serviços secretos "amigos", de elementos ligados a grupos extremistas, treinados no uso de armas e explosivos, muitos deles antigos polícias e militares. E aqui, a convicção do ministro começa a fazer algum sentido. É que antigos polícias e militares, juntos, ao vivo e em número de "muitos", das duas, uma: ou andam infiltrados entre outros extremistas para ver em que param as modas, ou preparam alguns efeitos especiais que virão a dar razão ao ministro e justificarão, por parte da Cimeira, a adopção de medidas de maior dureza e largueza contra o inimigo sem rosto do "terrorismo". Porque quanto ao terrorismo com rosto, o que se conhece, o próprio Bin Laden, foi uma criação de um serviço secreto.
    E agora, a vigilância aí está. Sexta-feira passada, em comunicação telefónica com um edifício na zona limite da área da Cimeira foi-me dito que se notava um certo "vento" na linha. Mas, como toda a gente sabe, "o vento não bate assim".



    in DE
     
DreamPortugal