Ulrich: "Acredito que Portugal não vai à falência"

Discussão em 'Economia e Finanças' iniciado por JuizDidi, Novembro 12, 2010.

  1. JuizDidi

    JuizDidi Staff Moderador Temático Membro Gold


    Ulrich

    "Acredito que Portugal não vai à falência"


    12/11/10

    O presidente executivo do BPI acredita que Portugal irá conseguir ultrapassar a difícil situação actual sem recorrer ao FMI.

    "Acredito que Portugal não vai à falência, que não vai falhar o pagamento da sua dívida, e que vai ser capaz de retomar um percurso sustentável de pertença ao euro", referiu hoje, num almoço-debate sobre "Governação Europeia: Soluções para a Crise", promovido pelo gabinete do Parlamento Europeu em Lisboa.
    Fernando Ulrich considera que "não é possível fazer o ajustamento que Portugal tem de fazer" sem aumentar o IVA para 23% e reduzir os salários e que a dimensão do ajustamento que é necessário fazer "é de tal ordem e num período tão curto que o crescimento [da economia] terá de vir a seguir".
    Quanto a um possível recurso a apoio exterior do FMI ou do fundo europeu, o presidente executivo do BPI disse que, "em absoluto" prefere que Portugal "não utilize esses mecanismos. Entendo que se deve fazer tudo para evitar isso". O "mais importante é criar dinâmicas positivas" de evolução da situação, sublinhou.



    in DE
     
  2. JuizDidi

    JuizDidi Staff Moderador Temático Membro Gold

    "Acredito que Portugal não vai à falência e vai ser capaz de pagar a sua dívida"

    "Acredito que Portugal não vai à falência e vai ser capaz de pagar a sua dívida"


    Fernando Ulrich disse hoje que “a aventura” de abandonar o euro “teria consequências imprevisíveis” para Portugal.


    [​IMG]


    “Acho que o euro sobrevive à saída de um pequeno país. A moeda única europeia é uma história de grande sucesso”, afirmo o CEO do Banco BPI, num almoço promovido pelo gabinete do Parlamento Europeu em Lisboa, sob o tema “Governação económica europeia: soluções para a crise”.

    Fernando Ulrich considerou que “para Portugal, mais vale o esforço de estarmos no euro de forma sustentável, por muito que isso custe, porque a aventura de sairmos do euro teria consequências imprevisíveis”.

    “Acredito que Portugal não vai à falência e vai ser capaz de pagar a sua dívida e de retomar um percurso sustentável de pertença ao euro”, acrescentou.

    O gestor admitiu que “não é possível fazer um ajustamento orçamental como aquele que foi proposto sem um corte nos salários e um aumento do IVA”, sendo que “a dimensão do ajustamento é tal que penso que não é possível conciliá-lo com o crescimento da economia. O crescimento terá de vir a seguir”.





    in JNeg
     
  3. JuizDidi

    JuizDidi Staff Moderador Temático Membro Gold

    Ulrich acredita que Portugal “não vai à falência”


    Economia

    Ulrich acredita que Portugal “não vai à falência”

    14/11/10

    Dimensão do ajustamento requer subida do IVA e corte de salário.

    Portugal vai conseguir cumprir com as suas obrigações no pagamento da dívida e sair sozinho da situação difícil em que se encontra. Esta é a expectativa do presidente executivo do BPI, Fernando Ulrich, que, entre críticas à forma como o problema foi tratado, alerta para a necessidade de criar uma dinâmica positiva para inverter esta situação.
    "Acredito que Portugal não vai à falência, que não vai falhar o pagamento da sua dívida, e que vai ser capaz de retomar um percurso sustentável de pertença ao euro", referiu ontem, num almoço-debate sobre "Governação Europeia: Soluções para a Crise", promovido pelo gabinete do Parlamento Europeu em Lisboa. Fernando Ulrich considera que "não é possível fazer o ajustamento que Portugal tem de fazer" sem aumentar o IVA para 23% e reduzir os salários e que a dimensão do ajustamento que é necessário fazer "é de tal ordem e num período tão curto que o crescimento [da economia] terá de vir a seguir".



    in DE
     
Génio Digital